domingo, 23 de setembro de 2012

…e assim se faz Portugal, uns vão bem, e outros mal



Apesar de ter sido estudante de história, os ideais políticos não são o meu forte. Mas a verdade é que olhando de fora as pessoas tendem a culpar o primeiro-ministro pelo estado do País. E a culpa não é dele! A culpa é de quem viveu acima das suas possibilidades, de quem não soube gerir os seus rendimentos. 
Antigamente a crise era à seria. Havia muita fominha.  Hoje temos em conta mais bens essenciais que na verdade podemos muito bem viver sem eles.Há 40 anos atrás, só havia uma televisão em casa e…se houvesse! Não havia internet nem os 40 canais, não haviam cá telemóveis xptos que custam quase um ordenado. Os livros escolares passavam de irmãos para irmãos.
Cá em casa sempre vivemos na austeridade. Por isso estes ideais não nos fizeram muita mossa. Só comprávamos quando havia dinheiro, nunca tivemos dívidas. Quando não havia dinheiro não se comprava e nunca me faltou nada. O meu pai trabalha há 27 anos na mesma empresa e nunca faltou um único dia, nunca chegou atrasado, nunca esteve de baixa. Inúmeras foram as vezes que foram para o emprego doente. O país precisa de rigor para se erguer, só que os portugueses são preguiçosos e agora já dói ter de abdicar de regalias que não mereciam. Hoje paga o justo pelo pecador. 
Lembro-me de uma vez o meu primo contar sobre  um amigo dele que trabalhou durante 2 anos numa empresa bem sucedida no Japão. Propuseram-lhe gerir uma empresa do mesmo modelo em Portugal. Então assim foi…
Os japoneses abriram a empresa. Instalaram as mesmas máquinas, os mesmos modelos de trabalho, a mesma carga horaria, porém eles não entendiam o porque da produção ser menos 40% que no Japão.  
E o facto é que esse amigo contou-lhe o porque. No Japão as pessoas levam o trabalho a sério. Se era para entrarem as  7 da manhã, eles estavam às 6:30 para picar o cartão, prontos para começar mais um dia. Enquanto o português entrava às 7:15, ia fardar-se, ainda ia tomar o pequeno almoço e o cafézinho. As máquinas? Só eram ligadas as 8:20.
Moral da história… a fabrica não durou nem 2 anos em solo lusitano.

Outro ponto que tem levado Portugal à ruína é o facto do Estado, empresas e famílias, durante mais de uma década consumiram mais do que produziram! Quando a UE nos "deu" dinheiros para apostar na agricultura... os filhos dos senhores agricultores compravam jipes em vez de investir.
Isso só ajudou mais a afundar a nossa nação. Hoje as medidas são duras e severas, ninguém consegue viver para sempre acima das possibilidades, algum dia a bolha teria de rebentar! Cabe agora ao ilústre português saber se adaptar o seu rendimento com o nível de despesa.
Tudo bem que o governo está a ser muito severo!  Quando baixam os ordenados milionários da realeza? Se eu pago a gasolina para me deslocar para o meu emprego porque é que aqueles coirões não o fazem? E porque usam carros dados pelo estado? Se é para haver contenção terá de começar por eles para dar o exemplo.


2 comentários:

Ombemua - Saoirse disse...

hehehe ja estou a ver a cara dela!!!

Baci*

Patrícia disse...

a cara de quem?