domingo, 3 de julho de 2011

Terras de ninguém


São as terras de ninguém,
Onde morrem os índios e vivem os cowboys
Não há esperança, não há heróis
Num mundo corrumpido, onde só se faz o que convém.

Acreditar?
Eu acredito numa mudança,
Num fio de esperança
Pois aquele que sonha nunca cansa
Sonhar, como sonha uma criança.
by: Patrícia Moreira