terça-feira, 26 de março de 2013

A arte de não amargar a vida

"-Se eu comprar este carro vou ser mesmo feliz!" - quem nunca disse, fez ou pensou nisto? Quem diz carro diz outra coisa qualquer. 
Quero ler o livro do psicólogo Rafael Santandreu, que nos apresenta uma nova doença da sociedade... a necessidade de ter para ser feliz. É essa fome do querer que nos impede de ser felizes e nos leva ao sufoco e sofrimento.
Se perguntar a alguém na rua o que é a felicidade todos vão materializar a definição deste estado de espírito. " A felicidade é ter dinheiro, é ter a cara metade perfeita, a casa dos nossos sonhos, ter um bom carro, ser bem sucedido na minha carreira" 
Já pararam para pensar que no mundo pode existir uma pessoa que tenha tudo isso e não seja feliz?
E sabem porque? Porque ela tem MEDO! Tem medo de perder o que tem! Medo de perder o seu dinheiro, o seu emprego, a cara metade, o carro dos seus sonhos! Com esta crise financeira e económica o numero de suicídios e depressões disparou brutalmente, porque as pessoas tiveram de abdicar daquilo que "conquistaram". Viram as suas casas e bens pessoais a serem tomadas pelos bancos e muitos casais divorciaram-se por  colocarem a culpa  um ao outro.
Por esta minha linha de pensamento, feliz é aquele que não tem nada, porque também não tem o que perder assim como um mendigo! Porque parecendo que não... um mendigo vai comendo, há sempre uma alma caridosa que lhe dê um bocado de pão, água e roupas, mas ele já não tem nada que lhe dê medo de perder.


E mais uma vez esta conversa remete-me ao filme "In to the wild".
Vivemos num mundo que nos faz desejar tudo e mais um pouco e só com isso que desejamos é que seremos finalmente felizes e concretizados, mas na verdade nunca estamos preenchidos!
Segundo este autor, devemos de aceitar que podemos não encontrar  aquilo que procuramos mas podemos ser felizes com ou sem as coisas que desejamos e devemos de encarar esses desejos como preferências e não como necessidades.

"Sou feliz contigo mas também sou feliz comigo mesmo. Partilho contigo uma felicidade que me vem de dentro, e que pode ser expandida pela tua presença, mas que não está dependente de ti". 

Esta frase é um excerto do livro, e eu identifico-me nela. Estou "sozinha" ( não gosto deste termo porque eu não estou sozinha... tenho amigos, amigas sempre ao meu lado) há muito tempo e uma parte das minha amigas diz.. "Ah não tens ninguém...deve de ser mesmo triste, mas tem calma que vai aparecer um rapaz bom para ti" depois tenho a outra parte que diz "Sorte tens tu... sozinha é que estás bem, não tens chatices". A verdade é que eu tenho de me sentir bem comigo mesma para ter alguém, eu tenho de estar bem comigo mesma, não quero que essa pessoa seja o motivo da minha felicidade, quero que ela me proporcione bons momentos e eu também quero fazê la sentir-se bem! Porque, sejamos realistas, se um dia se as coisas não derem certo como é que eu fico? Devastada, sem chão, desamparada como já fiquei, porque tudo o que tinha como combustível para a minha felicidade era aquela pessoa! Então devemos sempre de desfrutar tudo aquilo que a vida nos proporciona e tudo que vem até nós.


É preciso muito exercício mental para pensarmos desta forma, porque fomos criados desde pequeninos que ao casar, ter dinheiro e uma boa vida seriamos felizes para sempre! Será essa a verdadeira felicidade?
Este livro??? Estou deserta para poder te-lo nas mãos :)


3 comentários:

Márcia V. disse...

São textos como este que me fazem andar no mundo da blogesfera e ver textos inteligentes que dizem tudo em tão pouco.
Quando a mim bens materiais tenho poucos,não conquistei muito ou mesmo nada na vida,sou solteira mas mesmo que não fosse a pessoa com quem estaria não ia ser o ponto central da minha vida.Tenho pouco mas sou feliz com o pouco que tenho e isso basta me,independentemente de ter dinheiro ou não para mim há coisas mais importantes.

Márcia V. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
The Best Of Joy disse...

Obrigada Marcia pelos teus comentários :) Temos de aproveitar tudo nesta vida.. desde os dias lindos de sol às tempestades de inverno. Tudo tem beleza e traz felicidade se a soubermos receber